Villa Tugendhat de Mies van der Rohe e outras joias de Brno

Villa Tugendhat é daqueles marcos que sempre aparecem nos tratados de arquitetura como grande exemplo do funcionalismo, e presença frequente na seleção das melhores obras do conhecido arquiteto e designer industrial Ludwig Mies van der Rohe. No entanto, é raro ler sobre a fascinante história dos seus proprietários, abordada neste artigo, assim como a Villa Tugendhat e outras visitas interessantes em Brno.

Por: Pepa Garcia

Publicado: Abril 21, 2021

Qualquer ocasião é boa para visitar a cidade tcheca de Brno e conhecer a Villa Tugendhat, que neste 2021 comemora o 20º aniversário da sua inclusão na lista do Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

A vila ficou conhecida pelo sobrenome de sua proprietária, a família Tugendhat. Fritz Tugendhat e sua esposa Grete, ambos de Brno, vinham de linhagem de comerciantes e industriais judeus alemães. Pode-se dizer que a história da vila começou a ser escrita durante o primeiro casamento de Grete, então Löw-Beer (sobrenome de solteira), com o industrial Hans Weiss. A  residência desse casal, na Alemanha, foi essencial para o interesse de Grete pela arte e arquitetura contemporâneas. Durante esse período, ela visitava regularmente uma casa que Ludwig Mies van der Rohe havia projetado para um negociante de arte - à época, na casa vivia Eduard Fuchs, historiador e colecionador de arte. Após o divórcio, Grete voltou para Brno e casou com Fritz Tugendhat, que conhecia desde a infância. Ambos deixaram claro o desejo de que a casa da família fosse projetada por seu idolatrado Mies van der Rohe, mas ele tinha que ser convencido...

A convite do casal, em 1928 Mies van der Rohe visitou Brno e ficou impressionado com o terreno da futura residência dos Tugendhat. Sobre pequena colina, localizado no bairro residencial de Černé Pole, o terreno descortinava belas vistas do centro histórico da cidade, localização que Mies van der Rohe adorou. O terreno foi presente dos pais de Grete, que mais tarde financiaram a construção da residência. A Villa Tugendhat foi construída em apenas 14 meses, e no final  de  1930  o  casal  já  morava nela. Começava fase feliz, na qual o  casal e os três filhos desfrutariam de todo o conforto. A tranquilidade não durou muito, pois em maio de 1938, diante da ameaça de guerra (2ª Guerra Mundial), o casal decidiu fugir para a Suíça. Três anos depois chegaram à Venezuela, onde tiveram mais dois filhos.

O toque de Mies van der Rohe nos interiores da Villa Tugendhat

O arquiteto e designer alemão Ludwig Mies van der Rohe foi um dos pioneiros da arquitetura moderna, além de último diretor da Escola Bauhaus. Villa Tugendhat foi uma de suas grandes obras-primas, talvez a maior na Europa, e o único monumento da arquitetura moderna na República Tcheca inscrito na Lista da Unesco.

Grete ansiava por uma casa espaçosa e moderna, com formas claras e simples. “Horrorizava ao meu marido a ideia de ter salas cheias de objetos e tecidos como ele conhecia desde a infância”, disse certa vez Greta. Mies van der Rohe concebeu um projeto de arquitetura funcionalista onde prevalecia a otimização do espaço e o aproveitamento da luz solar – a vila tornou-se obra de arte a dialogar com a natureza circundante. No piso térreo, os quartos fluíam de um para o outro, fundindo-se com o jardim através de enormes janelas de vidro, retráteis. Esse não foi o único avanço. A estrutura foi construída em aço - algo incomum em residências particulares -, foi instalada calefação e refrigeração a ar, e até fotocélula na entrada.

Os materiais usados na Villa Tugendhat eram da mais alta qualidade - ônix do Marrocos, travertino da Itália e vários tipos de madeiras exóticas, como ébano de macassar, madeira zebrano e pau-rosa, dentre outras. O custo da monumental parede de ônix, criada para refletir a luz cálida do entardecer, equivaleu ao custo de uma habitação social da época. O arquiteto definiu cada detalhe - a estante de madeira de ébano, do chão ao teto; as maçanetas das portas, os móveis etc. Muitos dos detalhes ele coletou, por exemplo, com Walter Gropius, Poul Henningsen e em empresas tchecas como Rako e SBS. Lilly Reich, designer alemã intimamente associada a Mies van der Rohe por mais de dez anos, colaborou no design de interiores e é creditada por vários elementos da mobília da vila.

Fritz Tugendhat ficou agradavelmente impressionado com o resultado. Foi muito mais do que ele sonhara: “Quando reflito sobre o cenário desses quartos e tudo o que eles contêm, sinto intensamente que isso é Beleza, isso é Verdade. Cada um que olhar estas salas, cedo ou tarde chegará à conclusão de que é aí que reside a verdadeira arte”.

O que aconteceu com Villa Tugendhat depois que seus proprietários migraram

Após a partida da família Tugendhat, a aldeia foi confiscada primeiro pela Gestapo e depois pelo exército russo. Um relatório de 1945, após a guerra, indica que o interior fora  quase destruído, os móveis serviram como lenha, as janelas foram quebradas e alguns quartos usados ​​como estábulos.

Após alguns pequenos arranjos, foi instalada na vila uma escola particular de dança e depois um ginásio estadual, mas as iniciativas para salvar a vila não cessaram e, por volta dos anos 60, ela foi declarada Patrimônio Nacional. A profunda renovação realizada entre 1981 e 1985 pelo atelier Kamil Fuchs recuperou parte do seu esplendor. Entre 2010 e 2012, réplicas dos móveis originais foram acrescentadas. Grande parte da mobília foi salva quando a família Tugenhat a levou consigo para o exílio. Algumas das peças estão na vila e fazem parte da atual exposição.

Fato interessante sobre a vila é que os primeiros-ministros tcheco e eslovaco se reuniram lá em 1992, para acordar a divisão da então Tchecoslováquia. Eles assinaram o documento sobre a mesa que Mies van der Rohe ancorou no chão para que ninguém se atrevesse a movê-la para outro lugar da sala. Em 1993, a vila se tornou um dos espaços mais privilegiados de Brno para  a organização de eventos culturais. Finalmente, em 16 de dezembro de 2001 a Villa Tugendhat  foi inscrita na Lista da Unesco.

Para encerrar a história, por ocasião da abertura da casa ao público em 2012, vale destacar as emocionadas presenças de Daniela Hammer-Tugendhat e Ruth Guggenheim-Tugendhat, filhas (já nascidas no exílio) dos legítimos proprietários da vila. Entre seus desejos, destacaram “como devolver vida à casa? Não vai viver aqui uma família, mas gostaríamos, por exemplo, que fossem realizados encontros de arquitetos, para que houvesse vida de novo”. Esse desejo foi satisfeito, já que agora a vila é palco para exposições, visitas e atividades culturais que em 2021, aos poucos, voltarão ao normal.

Outras vilas em Brno

Se você gosta de arquitetura, é aconselhável visitar três outras magníficas vilas, todas elas em Brno: Stiassni, Löw-Beer e Jurkovič.

  • Vila Stiassny. Proposta funcionalista do arquiteto Ernst Wiesner, cujo jardim tem a assinatura de Otto Eisler.
  • Vila Löw-Beer. Uma das primeiras a ser construída no bairro de Černá Pole, onde fica Tugendhat. Pertenceu a Moritz Fuhrmann e foi projetada no estilo art nouveau pelo arquiteto vienense Alexander Neumann. Acabou sendo propriedade do pai de Grete Tugendhat.

  • Vila Jurkovič. Assemelha-se a uma cabana alpina e foi construída pelo arquiteto Dušan Jurkovič, para moradia própria. Tem o mesmo estilo da Vila Löw-Beer e está situada junto a um bosque e a um rio.

 

Canais relacionados

Arquitetura
Cinco locais de arquitetura modernista na República Tcheca

A arquitetura modernista e seus estilos, como construtivismo, cubismo, funcionalismo, minimalismo, classicismo têm belos exemplos na República Tcheca.

Arquitectura Arquitetura Cultura Cultura Dica de local Experiencia de viagem Patrimônios
10 sugestões para tornar inesquecível sua viagem a Praga, na República Tcheca

Se você é daqueles que escrevem lista de compras, planejam por horas o trabalho e gostam de organizar a mala com antecedência, apreciará incluir nossas sugestões na sua lista de “coisas para fazer em Praga”. Em três ou quatro dias na capital tcheca haverá tempo para todos os sugeridos (e sem estresse).

Arquitetura Arte Café literário Castelos e Palácios Dica de local Patrimônios Sabores
Guia básico - o que ver em Praga

Os dez locais essenciais na área da Unesco em Praga. Se você planeja viajar para a capital tcheca e quer saber o que ver, anote estas recomendações.

Arquitetura Arte Cultura Experiencia de viagem Patrimônios
Pacotes