Inacreditável Vysočina, as Terras Altas tchecas com mais de mil vilas deliciosamente turísticas

Extensa rede de estradas, de ciclovias e de trilhas conectam vilas e cidadezinhas a partir de Jihlava, a maior e mais antiga cidade das Terras Altas tchecas, e levam a inesquecíveis atrativos incomuns. Impossível conhecer e não retornar.  

Por: Giorgia Marcucci

Publicado: Novembro 30, 2021

Em tcheco, Kraj Vysočina, em português, Região de Vysočina. Em qualquer idioma, a tradução deveria ser deslumbrante. Há muitos exemplos que justificam esse adjetivo, um deles a idade de algumas das montanhas da região. Elas estão ali há 350,5 mil anos, época que existia nesse nosso mundão tão somente o supercontinente Pangeia, nome escolhido pelos gregos, muitos séculos depois.

A região foi batizada por Vysočina porque ocupa porção substancial das Terras Altas da Boêmia-Moravia (Českomoravská Vysoké Země). O que a torna singular é a infinidade de atrações culturais, de lazer e de esportes que são oferecidas na quase totalidade das suas mais de mil vilazinhas, cada qual com seus apelos – os naturais, os usos e costumes e os criados para oferecer infraestrutura turística.


Foto: turismo de Vysocina

 

A principal cidade da região de Vysočina é Jihlava, a maior e mais antiga povoação das Terras Altas tchecas e uma das mais ricas à época do Reino Tcheco, graças, em especial, à mineração da prata. É dividida em duas partes pelo rio Jihlava – uma delas chamada Jihlava Morava e a outra, Tcheca. Na praça do Centro Histórico, o marco principal é a Igreja Jesuíta de São Inácio de Loyola. Próximo, estão a Igreja de São Jakub Větší, datada de 1257 e a Igreja da Assunção da Virgem Maria.

Foto: turismo de Vysocina

Em um dos lados, o Centro Histórico é delimitado pelo Portão da Mãe de Deus, único que restou dos cinco que, originalmente, davam acesso à então fortaleza, cercada por muros com altura de seis metros, protegidos por fossos e construídos em meados do século 13.

No século 18, a fortaleza e as fortificações foram demolidas e as torres, transformadas em habitações. No edifício do Portão da Mãe de Deus há acesso para torre de observação e recinto de exposições permanentes – reprodução de pinturas de Gustav Krum, intitulada ‘Da História de Jihlava’ e outra, que tem por foco o surgimento e o desaparecimento da fortificação.

A partir de Jihlava, aonde você encontrará o que espera de grande cidade – hotéis, restaurantes, boa gastronomia, por exemplo –, é fácil chegar à profusão de vilas da região de Vysočina, que são conectadas por densa rede de estradas, ciclovias e trilhas pedonais. Algumas são bem próximas a Jihlava, em distâncias que variam entre três a 10 quilômetros.

Ao visitar as vilazinhas das Terras Altas, você vivenciará o jeito de ser das famílias tchecas. Por exemplo, se visitar a região entre a segunda quinzena de setembro e a primeira de agosto, verá famílias tchecas com seus filhos a colher cogumelos nos bosques. 

Colher cogumelos é tradição familiar levada muito a sério, coroada por festas, concursos (maior quantidade, maior cogumelo, culinária) e com grande número de sites tchecos e associações dedicadas ao tema, espalhadas por toda a República Tcheca.  Nas Terras Altas, a cenoura também tem vez.

A ‘Peregrinação da Cenoura’, festa das mais tradicionais e concorridas na região, acontece anualmente na Vila Polná. Para chegar, não dá para ir a pé – a distância desde Jihlava é de 17 km. Se não quiser ir de carro ou transporte público, poderá ir pedalando – a ciclovia de acesso é bem cuidada.



A animada festa é repleta de diversão para as crianças e os adultos, de oferta de pratos tradicionais das Terras Altas, artesanato e outros produtos locais e, claro, sem número de iguarias à base de cenouras, inclusive o docinho que, garantem os organizadores, “você só poderá provar em Polná”.


Foto: turismo de Vysocina

Até aqui, não contamos um décimo das atrações das Terras Altas, que tem estâncias de esqui, agro turismo, vários centros para relaxamento e para diversão infantil, experiências gastronômicas oferecidas em excursões que partem de Jihlava e levam a fazendas, bistrôs familiares, passeios culturais e oferta de hospedagem em acomodações absolutamente fora do comum, mas que oferecem conforto. Em breve, voltaremos a abordar essa região incrível que é a orgulhosa sede da Área de Paisagem Protegida Želená hora, aonde estão preservadas as muralhas que, no passado distante, protegiam a Cidade Celta.

Canais relacionados

Natureza
Arquitetura do vinho, o jeito tcheco de vinícolas receberem visitantes

Além das caves tradicionais, na República Tcheca cada vez mais os fabricantes constroem edifícios e grandes complexos vitivinícolas modernos, a partir de projetos de conceituados arquitetos. Tanto pelo vinho como pela ‘arquitetura do vinho’,  agende a Morávia do Sul para a sua próxima viagem a Tchéquia.

Cultura Natureza Sabores
Deixe-se levar pelo Moldava, o maior rio da República Tcheca

Seis seções turísticas ‘dividem’ o rio Moldava desde a nascente, na Šumava, até Mělník, onde se mistura ao Elba para seguir rumo ao Mar do Norte. Mas, antes de deixar Tchéquia, o Moldava abraça a Boêmia do Sul ao longo de 430 km e leva a desfrutar momentos inesquecíveis.

Cultura Cultura Natureza
Tchéquia em balão, experiência inesquecível

Percorrer a República Tcheca por carro é emocionante, por trem, traz grande dose de romantismo e sobre duas rodas confere vitalidade. Mas, se o que você realmente quer é viver experiência muito mais vibrante, continue lendo porque esses quatro passeios em balão foram pensados para você.

Aventura Aventura Experiencia de viagem Natureza
Pacotes